“Os Donos do Mundo”, de Luccas Papp, faz qualquer um se questionar sobre a vida

“Como seria se todas as pessoas do mundo simplesmente desaparecessem e apenas um grupo de jovens adultos tivesse sobrado? Esse é o retrato de “Os Donos do Mundo”. Vindos de todos cantos, e completamente diferentes entre si, os garotos precisam conviver em um supermercado abandonado enquanto buscam a explicação para o sumiço repentino da humanidade e têm seus sensos de justiça e verdade postos à prova. Essa realidade tão surreal entra em conflito com a saudade da família e a necessidade que temos de ter pessoas que amamos ao nosso lado. Uma experiência sensível e nostálgica sobre o que é a vida e o que podemos fazer dela.”

Os Donos do Mundo” estreou no dia 5 de novembro no Teatro Augusta e é a mais nova produção da LP Produções. A história cativa e prende a atenção do público do começo ao fim, com pontos de comédia, mistério e muito questionamento – muitos deles pelos próprios personagens, que têm seus sensos de justiça e verdade postos à prova em um dos momentos mais críticos do espetáculo.

A peça é dividida em quatro atos – “O Fim“, “A Ascensão“, “O Declínio” e “A Redenção” -, que acompanham o desenvolvimento das personagens em relação aos sentimentos que são despertados e explorados após o desaparecimento da humanidade. O amor, o ódio, a cobiça e o questionamento do que é certo ou errado estão presentes durante todo o espetáculo, que consegue cativar um público de qualquer faixa etária.

Com direção de Kléber Montanheiro, “Os Donos do Mundo” conta com uma trilha sonora de grandes clássicos do rock e uma ótima escolha de elenco – principalmente por terem um forte apelo junto ao público jovem, somando milhões de seguidores nas redes sociais.

Com um time formado por Bianca Paiva, Camila Senna, Eric Surita, Francis Helena Cozta, Gabriella di Grecco, Luccas Papp, Luma Eckert, Marcelo Arnal, Sâmia Abreu e Victor Sparapane, a escolha foi um gol certeiro. Interpretações que se completam, funcionam e conseguem transmitir exatamente o que Luccas, interprete de Tiago e também roteirista da peça, quis passar quando pensou na história.

O texto que deu origem à peça surgiu em 2012 a partir da premissa que o mundo acabaria naquele ano: “Já que todo mundo está pensando que o mundo vai acabar, eu vou pegar isso e utilizar como pano de fundo de uma história,” contou Luccas. “Eu não queria falar sobre o fim do mundo de um viés cientifico, eu queria falar sobre como os seres humanos reagem com a perca, o que pra mim era o mais importante.

Quando perguntei porque as pessoas se identificam com a peça, Luccas disse: “O que faz elas refletirem, pensarem e se identificarem tanto é justamente porque as personagens representam pontos universais da nossa sociedade, julgamentos que fazemos com as pessoas, a forma como nos vemos sozinhos em algumas situações, como temos que lidar com a diversidade, tudo isso são questões que são ligadas diretamente ao que vivemos nos dias de hoje e quando você amplia isso pra uma situação limite, mais utópica, fica mais evidente. É como se nós colocássemos uma lente, ou uma lupa, nestes problemas humanos.

Os Donos do Mundo” fica em cartaz até o dia 17 de dezembro no Teatro Augusta, com grandes chances de estender a temporada – assim espero. Você pode adquirir os ingressos clicando aqui.

Iury Parise

Um garoto do interior morando em São Paulo. Apenas mais uma pessoa tentando se destacar no mundo! :) Me acompanha?

Comenta aí, vai :P