A carta que não te enviei

Oi,
Tudo bem contigo?
Na verdade, eu já não me importo mais.
Eu não quero saber como você está, mas eu quero que você saiba o que eu estou sentindo.

Um pouco mais de um ano se passou desde que nos conhecemos, um pouco mais de uma semana se passou desde que nos reencontramos. E durante todo esse ano eu tentei me fazer acreditar que o que tivemos foi verdadeiro. Quer dizer, pra mim foi, mas não pra você. Durante todo esse tempo eu tentei acreditar que não era possível eu estar em um relacionamento abusivo. Que definição chocante, não é? Como que eu não fui perceber isso antes? Você me desincentivando a seguir as minhas realizações e objetivos, fazendo eu me sentir incapaz de tomar alguma decisão, me intimidava ou fazia ameaças para conseguir me fazer culpado por uma briga ou usava o álcool como desculpa para dizer coisas que me magoaram – ou pior, me trair. Eu acho que gosto tanto de você que eu preferia acreditar que eram problemas que qualquer casal que estava se conhecendo passava antes de viver nas nuvens.
Ah, correção: gostava*!

Como eu fui idiota, né? Você deve pensar isso toda vez que lembra de mim. E eu sei que você lembra com frequência. Assim como eu lembro de você. De nós. Talvez eu sinta falta de como tudo era antes de você ter entrado na minha vida. Talvez seria melhor se eu nunca tivesse te conhecido. Talvez eu deseje que ninguém nunca brinque com os seus sentimentos da forma com que você brincou com os meus. Ou não. Talvez eu deseje que façam isso, quem sabe você aprenda. Talvez um dia a gente ainda se reencontre. Talvez um dia eu ainda te escreva. Mas hoje, agora, eu vejo o quanto ficar sem você me fez bem. Lembra quando você me viu há um tempo atrás e me disse o quanto eu mudei? Eu quero que você saiba que não foi por você. Eu quero que você veja o meu sorriso e saiba que você não é o motivo dele.

Hoje, eu quero que você entenda que nada vindo de você me afeta e que eu já cansei de me referir a você com vírgulas, eu acabo essa carta com um ponto final.

Iury Parise

Um garoto do interior morando em São Paulo. Apenas mais uma pessoa tentando se destacar no mundo! :) Me acompanha?

2 thoughts to “A carta que não te enviei”

Comenta aí, vai :P